Raúl cumprirá desejo de Fidel de proibir estátuas do líder cubano

Santiago de Cuba, Cuba, 4 dez 2016 (AFP) - Fidel Castro deixou um último desejo que seu irmão converterá em lei: não existirão estátuas nem ruas ou praças com o nome do líder da Revolução cubana.

Fidel "rejeitava qualquer manifestação de culto à personalidade e foi coerente com esta atitude até as últimas horas de vida", disse Raúl Castro durante uma homenagem ao seu irmão em Santiago, onde as cinzas do histórico líder serão levadas ao cemitério neste domingo.

O presidente lembrou que Fidel Castro, que morreu no dia 25 de novembro aos 90 anos, sempre se opôs a que "seu nome e sua figura fossem utilizados para denominar instituições, praças, parques, avenidas, ruas ou outros locais públicos".

Ao mesmo tempo, insistiu que após sua morte não fossem erguidos "monumentos, bustos, estátuas e outras formas similares de tributos".

"Em correspondência com a determinação do companheiro Fidel, apresentaremos no próximo período de sessões da Assembleia Nacional do Poder Popular as propostas legislativas requeridas para que sua vontade prevaleça", indicou o presidente cubano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos