Missão da ONU teme possíveis atos de violência na RD Congo

Nações Unidas, Estados Unidos, 6 dez 2016 (AFP) - A Missão da ONU na República Democrática del Congo (MONUSCO) se prepara para enfrentar atos de violência com o iminente fim do mandato do presidente Joseph Kabila, afirmou o representante especial das Nações Unidas para o país.

Maman Sambo Sidikou citou uma "sensação de temor" a duas semanas de 20 de dezembro, último dia da presidência de Kabila, durante uma sessão de consultas sobre a situação na RD Congo no Conselho de Segurança da ONU.

Ao menos 31 pessoas morreram em confrontos entre as forças de segurança e uma milícia no centro do país no fim de semana.

"A MONUSCO atualizou os planos de contingência e está adaptando seu deslocamento para proteger os civis o máximo possível", explicou, antes de admitir, no entanto que "os esforços podem não ser suficientes para reagiar de forma adequada a explosões graves de violência de caráter político".

A Constituição do país não permite a Kabila, que está no poder desde 2001, disputar um novo mandato à presidência.

No entanto, as eleições previstas para o fim do ano foram adiadas por tempo indeterminado.

Kabila pretende permanecer no poder graças a um acordo alcançado em outubro entre a maioria e um setor minoritário da oposição, que prevê a formação de um amplo governo para preparar as eleições.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos