Deputado anti-Islã declarado culpado discriminação na Holanda

Schiphol, Holanda, 9 dez 2016 (AFP) - O deputado holandês anti-Islã e antimigração Geert Wilders foi declarado culpado da acusação de discriminação por um tribunal, que, no entanto, o absolveu do delito de incitação ao ódio por suas declarações sobre marroquinos em 2014.

No veredicto, os juízes assinalaram que "o caráter inflamatório das declarações do réu incitou a discriminação de pessoas de origem marroquina".

No entanto, acrescentaram que as evidências não são suficientes de que suas palavras tenham incitado o ódio.

Conhecido por suas posições islamofóbicas, o político foi julgado por declarações feitas depois das eleições municipais de março de 2014 em Haia, onde questionou a seus militantes se queriam "mais ou menos marroquino na Holanda".

A uma multidão que gritava "Menos! Menos! Menos!", respondeu com um sorriso: "Vamos cuidar disso".

Os holandeses vão às urnas em março para eleger seu primeiro-ministro, um posto que Wilders aspira há muito tempo.

As últimas pesquisas atribuem 34 cadeiras a seu Partido para a Liberdade (PVV), dez a mais que ao partido do premiê liberal Mark Rutte.

jhe-jkb/aoc/jz/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos