Prefeitos europeus criam rede de ajuda aos refugiados

Cidade do Vaticano, 10 dez 2016 (AFP) - Cerca de 75 prefeitos de toda a Europa decidiram, neste sábado (10), no Vaticano, criar uma rede humanitária para receber os refugiados que fogem de guerras e de perseguições.

A decisão foi anunciada ao fim do encontro de dois dias organizado pela Pontifícia Academia das Ciências.

Embora estivesse previsto, o papa Francisco não compareceu ao evento. Nenhuma explicação oficial foi dada sobre sua ausência.

Sob o lema "Os refugiados são nossos irmãos e irmãs", o objetivo do encontro era trocar experiências e ideias sobre o que fazer, como organizar a acolhida dos refugiados, assim como sobre como convencer a população que não é preciso ter medo desses migrantes, nem de sua religião.

"Temos um dever de humanidade e de solidariedade com as pessoas que fogem da guerra, ou da miséria. Para mim, não há diferença", advertiu a prefeita de Paris, Anne Hidalgo.

Ela lembrou que sua cidade recebeu cerca de 20.000 refugiados em Paris provenientes de Síria, Afeganistão, Eritreia e Sudão, por exemplo.

Além dos prefeitos de Paris e de Milão, também participaram os de Madri, Roma, Barcelona, Lisboa, Bonn, Dublin, entre outras cidades importantes.

A maioria dos presentes parece concordar sobre a necessidade de combater a xenofobia e o medo infundado do estrangeiro. Também consideraram importante investir nos países africanos, de onde provém a maioria dos refugiados.

ell-kv/jz/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos