Operação do regime sírio em Aleppo chega a sua 'fase final'

Alepo, Síria, 12 dez 2016 (AFP) - A ofensiva do exército sírio e seus aliados entrava nesta segunda-feira em sua "fase final" no leste de Aleppo, de onde os civis seguem fugindo aos milhares enquanto as últimas forças rebeldes ficam cada vez mais encurraladas.

O regime de Bashar al-Assad retomou nesta segunda-feira o grande bairro de Sheikh Said, no sudeste da cidade, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Os bombardeios aéreos e os disparos de artilharia das forças governamentais seguiam atingindo o setor controlado pela rebelião em Aleppo, cada vez menor.

Ex-capital econômica da Síria, Aleppo estava desde 2012 dividida entre os bairros a leste, controlados pelos rebeldes, e o setor oeste, nas mãos do regime.

Mas uma ofensiva fulminante do exército de Damasco lançada no dia 15 de novembro com o apoio de combatentes iranianos e do Hezbollah libanês, e apoiada por bombardeios aéreos e de artilharia russos, expulsou os rebeldes de quase todo o território que controlavam na cidade.

Um correspondente da AFP em terra indicou nesta segunda-feira que os ataques, que podiam ser ouvidos desde o setor ocidental, eram os mais intensos em vários dias.

"A operação entra em sua fase final", disse um responsável militar em Aleppo à AFP, ressaltando que os insurgentes mantinham apenas 10% de seu antigo território.

"O setor que a oposição ainda controla é muito reduzido e pode cair a qualquer momento. Os rebeldes só mantêm o controle total de dois bairros: Al-Mashad e Sukari", indicou à AFP o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

- 'Séria preocupação' -Mais de 10.000 civis fugiram dos bairros rebeldes nas últimas 24 horas para alcançar os setores sob controle governamental, segundo o OSDH.

No total, 130.000 civis abandonaram os bairros da oposição desde 15 de novembro, em cálculos da mesma fonte.

"Existe uma séria preocupação pelos milhares de civis que permanecem nos bairros controlados pela rebelião", indicou Abdel Rahman.

Na semana passada, o grupo Estado Islâmico (EI) lançou uma ofensiva no deserto da província central de Homs, capturando campos petrolíferos e posições governamentais.

O Observatório indicou que os extremistas avançavam nesta segunda-feira ao sul e a oeste da cidade contra o exército de Damasco perto da cidade de Al Qaryatain, enquanto os aviões russos prosseguiam atacando-os a partir do ar.

Em Palmira, cidade que o grupo extremista voltou a retomar nove meses depois de ter sido expulso pelas forças de Damasco, nesta segunda-feira executou oito combatentes pró-regime, segundo o OSDH.

-'34 civis mortos'-Também nesta segunda-feira, ao menos 34 civis, incluindo 11 crianças, perderam a vida em uma série de bombardeios aéreos em localidades controladas pelo EI na província de Hama, no centro do país, indicou a ONG.

Ocorreram "ataques aéreos intensos" nesta madrugada contra a localidade de Uqayribat e várias aldeias dos arredores, no leste de Hama, afirmou o OSDH.

Não se sabe se os bombardeios foram realizados por avições da força aérea síria ou da aviação russa, acrescentou.

O conflito na Síria, desencadeado em 2011 pela sangrenta repressão das manifestações pacíficas pró-democracia no país, se transformou em uma complexa guerra que envolve muitos atores sírios e estrangeiros.

Em cinco anos, o enfrentamento deixou mais de 300.000 mortos e deslocou a metade da população.

Segundo o OSDH, 415 civis morreram em Aleppo pela ofensiva do regime e 130 por disparos rebeldes.

lar-sah/tgg/sk/bpe/aoc.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos