Coalizão mata na Síria 3 chefes do EI vinculados a atentados de Paris

Washington, 13 dez 2016 (AFP) - A coalizão internacional que luta contra o grupo Estado Islâmico matou três responsáveis deste grupo extremista "diretamente envolvidos em atentados fora (da Síria) e no recrutamento de combatentes estrangeiros" durante um ataque aéreo em Raqa, na Síria, em 4 de dezembro.

Segundo o comunicado do Pentágono divulgado nesta terça-feira, "dois destes dirigentes, Salah Gourmat e Sammy Djedou, ajudaram a preparar os atentados de 13 de novembro de 2015 em Paris".

Estes dois membros do EI eram "próximos e associados a Abu Mohammed al-Adnani, o responsável pela coordenação das operações exteriores que morreu durante um ataque da coalizão em agosto", acrescenta o Pentágono.

A Rússia também havia reivindicado a morte deste líder extremista.

O terceiro dirigente do grupo morto no início de dezembro após o ataque da coalião dirigida pelos Estados Unidos é Walid Hamman, encarregado de organizar ataques suicidas e condenado à revelia na Bélgica, acusado de tentativa de atentado abortado em 2015, segundo os Estados Unidos.

Os três homens, que trabalhavam juntos "para preparar atentados no Ocidente", formavam parte da rede do líder franco-tunisiano do EI, Boubaker El Hakim, também morto durante um ataque da coalizão em 16 de novembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos