EUA querem observadores internacionais em Aleppo para acompanhar retirada

Nações Unidas, Estados Unidos, 13 dez 2016 (AFP) - O governo americano pediu nesta terça-feira (13) o envio de observadores internacionais a Aleppo para supervisionar a retirada de civis, após informes de que as forças do governo sírio de Bashar al-Assad teriam cometido execuções nas batidas casa a casa.

Em uma reunião de emergência do Conselho de Segurança, a embaixadora americana na ONU, Samantha Power, disse que os observadores "supervisionariam a evacuação segura das pessoas que quiserem ir embora, mas que, justificadamente, temem ser abatidos na rua ou enviados para alguns dos 'gulags' de Assad".

A ONU manifestou grande preocupação com os informes, segundo os quais pelo menos 82 pessoas, entre elas 11 mulheres e 13 crianças, foram assassinadas em quatro bairros de Aleppo.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, exigiu de Damasco e de seus aliados Rússia e Irã "permitam urgentemente aos civis que restam sair da área urbana", assim como o fornecimento de ajuda aos civis na cidade.

A Síria rejeitou que funcionários da ONU em Aleppo pudessem supervisionar as operações de suas forças, mas Ban denunciou que milhares de civis estavam em perigo.

Nas últimas 48 horas, houve "um quase completo colapso das linhas da oposição armada, o que permitiu - até agora - conservar apenas 5% do território que tinham na cidade", completou Ban.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos