Governo polonês rebaixa Jaruzelski de forma póstuma

Varsóvia, 13 dez 2016 (AFP) - Os generais Wojciech Jaruzelski e Czeslaw Kiszczak, artífices da lei marcial imposta na Polônia em 13 de dezembro de 1981 para reprimir o movimento Solidariedade, serão privados de sua patente militar a título póstumo, informou o ministro da Defesa.

"Os criminosos responsáveis por ações militares contra sua própria nação não merecem ter esta patente", declarou Antoni Macierewicz.

Para fazer isso, os conservadores populistas no poder terão de fazer uma emenda à lei sobre o serviço militar, uma mera formalidade no parlamento dominado pelo Partido Direito e Justiça (PiS) de Jaroslaw Kaczynski.

O general Jaruzelski morreu em maio de 2014, aos 90 anos, enquanto Kiszczak, que foi seu ministro do Interior em 1981, morreu no ano passado.

Os dois generais cederam o poder em consequência das negociações dos acordos da Mesa Redonda entre o Solidariedade e o regime, em 1989.

Depois da volta da Polônia ao regime democrático, os dois militares se retiraram da vida pública.

Nunca foram processados ou punidos pelo estado de sítio e os crimes cometidos pelo regime na época.

sw/via/pt/age/mb /cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos