Hammond defende acordos de transição para facilitar Brexit

Londres, 13 dez 2016 (AFP) - O ministro britânico das Finanças, Philip Hammond, defendeu nesta segunda-feira a negociação de acordos de transição para facilitar a saída da Grã-Bretanha da União Europeia e evitar "perturbações", especialmente no sistema financeiro.

"De uma maneira geral, seria útil dispor de um período mais longo para administrar o ajuste entre a situação atual de membro pleno da UE e a futura", disse Hammond em audiência no comitê do Tesouro do Parlamento britânico.

Isto facilitaria "uma transição mais suave e implicaria em menos riscos de perturbações, incluindo para a estabilidade financeira, o que é uma verdadeira preocupação".

Segundo o ministro, existe uma "visão emergente" sobre o tema, compartilhada por empresários, reguladores, certos dirigentes políticos e responsáveis "de ambos os lados do Canal da Mancha".

A necessidade de se ter um período de transição foi defendida, em particular, por representantes do setor financeiro da City que temem que o Brexit complique suas atividades.

Bruxelas já antecipou que dificilmente se poderá contemplar este tipo de acordo com o governo britânico.

Uma vez materializado o "divórcio", é "difícil imaginar um período de transição" sem definir de maneira precisa os termos da futura relação com a UE, declarou na semana passada o encarregado do Brexit na Comissão Europeia, Michel Barnier.

"Apenas podemos chegar a uma situação de transição se houver uma convergência sincera de pontos de vista de ambos os lados da negociação", declarou Hammond. "Coletivamente, penso que para nós acordos de transição seriam benéficos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos