Merkel e Hollande querem prorrogar sanções contra Rússia por Ucrânia

Berlim, 13 dez 2016 (AFP) - Angela Merkel e François Hollande se pronunciaram nesta terça-feira a favor de uma prorrogação das sanções da UE contra a Rússia devido à situação da Ucrânia na cúpula europeia desta semana em Bruxelas.

"Será necessário prorrogar as sanções contra a Rússia" na cúpula de quinta-feira, declarou à imprensa a chanceler alemã depois de se reunir em Berlim com o presidente francês. Vários países europeus criticam a eficácia e o custo econômico destas medidas.

"A partir do momento em que não há esforços, não há progressos, há sempre os mesmos bloqueios, sou favorável, assim como a chanceler, a que seja possível prolongar as sanções", disse Hollande.

"Devemos seguir fazendo com que sejam aplicados os acordos de Minsk", que devem colocar fim ao conflito no leste da Ucrânia entre forças pró-governamentais e pró-russas.

Impostas em julho de 2014 depois que o voo MH17 da Malaysia Airlines foi abatido no céu do leste separatista da Ucrânia (298 mortos, em sua maioria holandeses), estas duras sanções econômicas da UE, dirigidas contra os setores da energia, da defesa ou o banco russo foram regularmente prorrogadas há dois anos.

Atualmente em vigor até 31 de janeiro de 2017, provocam debate entre os Estados membros, especialmente na Itália, porque provocaram medidas de retaliação russas contra os agriculturores europeus.

As sanções econômicas são um dos aspectos das medidas punitivas decididas pela UE há dois anos e meio contra Moscou para sancionar a anexação considerada ilegal da Crimeia e os atentados à integridade territorial da Ucrânia.

Kiev e Moscou se responsabilizam mutuamente pela violação dos acordos de Minsk.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos