Viúva de Pinochet depõe como acusa de malversação dos cofres públicos

Santiago, 14 dez 2016 (AFP) - Lucía Hiriart, viúva do ex-ditador Augusto Pinochet, depôs nesta quarta-feira como acusada em um caso de malversação dos cofres públicos na fundação de assistência social Cema-Chile, que presidia até pouco tempo.

A audiência com o juiz Guillermo de la Barra durou duas horas e o conteúdo do depoimento não foi divulgado.

Lucía Hiriart, de 93 anos e considerada a mulher forte por trás da cruel ditadura de seu marido (1973-1990), está com problemas com a justiça desde que foram tornadas públicas denúncias de negócios imobiliários da fundação Cema-Chile, criada durante a ditadura para dar formação a donas de casa.

Ao fim da ditadura, perdeu seu caráter social e virou um lucrativo negócio imobiliário.

Em 2015, o ministério de Bens Nacional apresentou uma denúncia para reclamar 135 propriedades que foram transferidas gratuitamente para Cema-Chile, avaliadas em 120 milhões de dólares.

A investigação apontou que a entidade teria usado 50.000 dólares para da fundação para costear a defesa de Pinochet quando esteve preso em Londres, entre 1998 e 2000.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos