UE aprova prolongar sanções econômicas contra Rússia

Bruxelas, 15 dez 2016 (AFP) - Os 28 presidentes dirigentes da União Europeia (UE) aprovaram nesta quinta-feira (15) a prorrogação até meados de 2017 das sanções impostas à Rússia em julho de 2014, após a queda de um avião comercial no leste pró-russo da Ucrânia - indicaram fontes diplomáticas.

"A decisão formal será adotada nos próximos dias", afirmou uma das fontes.

Desde sua adoção, a UE vem prolongando essas sanções contra os setores energéticos, de defesa e contra bancos da Rússia. Moscou já revidou com medidas contra o setor agrícola europeu.

Outra fonte disse à AFP que as sanções europeias, que expiravam no final de janeiro, serão prorrogadas por "seis meses", valendo até 31 de julho de 2017.

As sanções econômicas são um dos aspectos das medidas punitivas decididas pela UE há dois anos e meio contra Moscou por seu papel no conflito na Ucrânia. Em março de 2014, Moscou anexou a península da Crimeia.

Na terça-feira (13), o presidente francês, François Hollande, e a chanceler alemã, Angela Merkel, já haviam se mostrado favoráveis à continuidade da aplicação de sanções econômicas, apesar das reticências de países como a Itália. Ambos alegam que Moscou não respeita seus compromissos de trégua na Ucrânia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos