Hillary Clinton culpa Putin e chefe do FBI por sua derrota

Nova York, 16 dez 2016 (AFP) - Hillary Clinton declarou ter perdido a eleição presidencial para Donald Trump por duas razões: "um ataque" do chanceler russo contra ela e uma carta do diretor do FBI com novos questionamentos sobre seus e-mails polêmicos, segundo o jornal americano The New York Times.

Clinton se reuniu na noite desta quinta-feira (15) em Manhattan com um grupo de financiadores de sua campanha e disse pela primeira vez publicamente que a Rússia, e mais especificamente seu presidente Vladimir Putin, são em parte responsáveis por sua derrota, segundo a edição desta sexta-feira (16) do jornal.

A Rússia "buscou enfraquecer nossa democracia" através de ataques cibernéticos a alvos democratas, como o Comitê Nacional Democrata e os e-mails do chefe da campanha democrata, John Podesta, Clinton relata ao ser citada pelo Times.

De acordo com a ex-candidata à presidência, esses ataques foram o resultado de "um problema pessoal" de Putin com ela por sua declaração de que as eleições legislativas russas de 2011 foram arranjadas.

"Putin me culpou publicamente pela torrente de indignação do seu próprio povo, e essa é a linha direta entre o que ele disse e o que fez nessa eleição", complementou Clinton.

Para a democrata, "esse não é só um ataque contra mim e a minha campanha, mesmo que isso possa ter atirado lenha na fogueira. Isso é um ataque contra o nosso país".

A Casa Branca acusa Putin de estar por trás dos ataques informáticos que interferiram na eleição e prometeu retaliação, uma denúncia que a Rússia considerou "indecente".

O presidente eleito, Donald Trump, que designou como secretário de Estado um grande empresário próximo a Putin, o presidente da ExxonMobil Rex Tillerson, põe em dúvida o fato de os russos estarem por trás dos ciberataques.

"Se a Rússia ou outra entidade realizavam ataques informáticos, por que a Casa Branca esperou tanto tempo para reagir? Por que só se queixaram depois que Hillary perdeu?", tuitou Trump.

Durante a conversa com os doadores de sua campanha, a ex-candidata voltou a certificar também que a carta do diretor da FBI, James Comey, divulgada a poucos dias antes da eleição contendo novos questionamentos sobre os e-mails enviados do seu servidor privado quando era secretária de Estado lhe custaram a vitória em vários estados chave.

"Eleitores de estados chave decidiram não votar em mim nos últimos dias de campanha por causa da carta divulgada pelo diretor do FBI, James Comey", argumentou Hillary aos financiadores.

Dois dias antes da eleição, Comey finalmente anunciou que a reabertura da investigação por parte do FBI não revelou nada significativo, e que não iniciaria nenhum procedimento em relação a Hillary.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos