Atacados ônibus usados para evacuar áreas pró-governo na Síria

Beirute, 18 dez 2016 (AFP) - Homens armados atacaram neste domingo vários ônibus encarregados de retirar habitantes de duas cidades controladas pelo governo na Síria, mas este incidente não teria consequências sobre a evacuação de Aleppo, segundo uma fonte militar.

Um novo acordo entre Damasco e seu opositores prevê a retirada de milhares de civis e rebeldes sitiados pelo governo em Aleppo, em troca da saída dos habitantes das localidades xiitas de Fua e Kefraya, cercadas pelos rebeldes na província vizinha de Idleb.

Vinte homens armados atacaram os ônibus nos arredores de Fua e Kefraya, segundo pôde presenciar um correspondente da AFP. Eles fizeram os motoristas saírem e dispararam contra os veículos, incendiando os depósitos de combustível de pelo menos cinco deles.

O incidente ocorreu depois que cinco ônibus conseguiram entrar nas duas cidades.

Por enquanto, não se sabe a identidade dos agressores, apesar de o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) ter mencionado possíveis divergências sobre esta evacuação entre a organização extremista Fatah al-Sham (ex-braço sírio da Al-Qaeda) e o influente grupo rebelde Ahrar al-Sham.

O ataque não deveria, entretanto, afetar as demais operações de evacuação na Síria, segundo um alto responsável militar do governo, que pediu anonimato.

"Há uma vontade coletiva para que o acordo continue em vigor. Tem que haver soluções para todos os obstáculos", indicou à AFP.

Dezenas de ônibus começaram a entrar neste domingo no último reduto rebelde de Aleppo para retomar a evacuação de milhares de civis e insurretos, que havia sido interrompida na sexta-feira.

lar-str-rim/ram/sk/iw/gm/age/cb

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos