Chanceler turco acusa dissidente pela morte de embaixador russo

Istambul, 20 dez 2016 (AFP) - O chefe da diplomacia turca disse nesta terça-feira ao seu contraparte americano que a rede do pregador Fethullah Gülen, demonizado por Ancara, estaria por trás do assassinato, na véspera, do embaixador russo, Andrei Karlov, reportou a agência oficial Anatólia.

Durante entrevista com o secretário de Estado americano, John Kerry, Mevlüt Cavusoglu afirmou que "Turquia e Rússia sabem que por trás do ataque contra o embaixador da Rússia em Ancara, Andrei Karlov, está a FETO", acrônimo para designar a rede de Gülen, segundo a Anatólia.

Gülen, que está exilado nos Estados Unidos, também é apontado como o instigador do golpe de Estado frustrado de julho, o que ele desmente.

Segundo vários veículos de comunicação, o policial Mevlüt Mert Altintas, assassino de Karlov, poderia estar vinculado a Gülen.

"Bala disparada pelo FETO contra as relações turco-russas", intitulou nesta terça-feira o jornal Star. Esta hipótese já tinha sido comentada pelo prefeito de Ancara, Melih Gökçe.

Gülen, por sua vez, disse sentir uma "profunda tristeza" pelo assassinato do embaixador russo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos