Justiça venezuelana determina embargo de banco privado por US$ 7,7 milhões

Caracas, 20 dez 2016 (AFP) - A justiça venezolana determinou um embargo de 7,7 milhões de dólares contra o Banesco, um dos principais bancos do país, por descumprimento de contrato com um município.

A medida será executada sobre os bens da entidade, com presença em Estados Unidos, Panamá, República Dominicana e Espanha, segundo uma sentença do Supremo Tribunal de Justiça (TSJ), divulgada nesta terça-feira.

A decisão ratifica uma anterior, tomada pelo TSJ em 2015, impugnada pelo banco, que por sua vez anunciou nesta terça-feira que pagará a quantia.

O caso remonta a 2008, quando o município de San Francisco (estado de Zulia, noroeste) processou o Banesco por "descumprimento de contrato" na designação de um tutor para a compra de caminhões de coleta de lixo.

As autoridades da cidade - subordinada à cidade de Maracaibo (capital de Zulia)- alegaram irregularidades no manejo do dinheiro.

O tribunal ordenou também à Procuradoria Geral que tome providências para que o serviço aos clientes do banco não seja afetado durante a execução do embargo.

Em um comunicado, o Banesco informou que acatará "como sempre" as decisões das autoridades judiciais e procederá de modo a "cancelar imediatamente o valor estabelecido".

Em novembro de 2016, a entidade declarou ativos na Venezuela equivalentes a cerca de 2,7 bilhões de dólares na taxa oficial mais alta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos