Violência explode na República D. do Congo após fim do mandato do presidente

Kinshasa, 20 dez 2016 (AFP) - Os distúrbios e a violência explodiram nesta terça-feira nas maiores cidades da República Democrática do Congo (RDC), onde a oposição pediu ao povo que não reconheça o presidente Joseph Kabila sem seu último mandato.

A data de 20 de dezembro de 2016 deixa a vida política local inquieta há meses, pois marca o fim do mandato de Kabila - no poder desde 2001 - e que está impedido pela Constituição de voltar a se candidatar.

Mas as eleições presidenciais que deviam designar a su sucesor não foram realizadas e Kabila, de 45 anos, pretende manter-se no poder até quem for eleito para sucedê-lo.

Os críticos de Kabila o acusam de ter orquestrado o adiamento das eleições e de tentar mudar a Constituição para poder ser presidente de novo.

O histórico opositor Etienne Tshisekedi pediu que o povo não reconheça mais o presidente.

Há 48 horas a situação é tensa no país e as maiores cidades estão sob controle militar e a população se mantém em suas casas.

Kinshasa, a grande metrópole de 10 milhões de habitantes está totalmente paralisada.

Horas antes, foi possível ouvir disparos em vários bairros da cidade, acompanhados de panelaço e apitaço.

Alguns habitantes falaram de mortos em certos lugares, mas esta informação não pôde ser confirmada.

A capital foi sacudida em em 19 e 20 de setembro por uma onda de violência entre as forças de segurança e a oposição que deixou entre 30 e 100 mortos.

Tiroteios intensos também foram ouvidos em Lubumbashi, segunda cidade da RDC e reduto do líder opositor no exílio, Moise Katumbi, candidato às eleições presidenciais que deveriam ter sido realizadas este ano e foram adiadas de forma indefinida.

A RDC está mergulhada em uma crise política desde a questionada reeleição de Kabila em 2011, depois de uma votação marcada por fraudes em massa.

bur/mj/mbb/jhd/me/app /cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos