Israel reduzirá punição para soldados que fumam maconha

Jerusalém, 21 dez 2016 (AFP) - O exército de Israel reduzirá as sanções contra os soldados acusados de fumar maconha ou haxixe durante suas licenças, um delito punido de maneira severa até agora, informou à rádio militar um dos promotores da reforma.

Os infratores não serão mais sistematicamente acusados por tribunais militares nem condenados a penas de prisão que poderiam chegar a até dois meses, explicou o general da reserva Dany Efroni.

Os dispositivos afetam apenas os soldados que fumam durante as licenças e não durante o serviço.

Os militares incriminados deverão comprometer-se a não fumar a droga durante um ano e a passar por exames periódicos de verificação.

O general da reserva disse que a medida permitirá aos soldados prosseguir com o serviço de maneira normal, sem qualquer mancha em seus arquivos, evitando problemas na hora de procurar emprego.

De acordo com o jornal Haaretz, o dispositivo entrará em vigor no início de 2017.

No ano passado, 128 soldados foram julgados pelo uso de entorpecentes.

O uso "recreativo" de haxixe e maconha é proibido em Israel.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos