Escritora turca Asli Erdogan deixa prisão, mas não pode sair do país

Istambul, 29 dez 2016 (AFP) - "Ainda não assimilei, estou em choque": depois de 132 dias de detenção provisória, a romancista turca Asli Erdogan deixou a prisão nesta quinta-feira à noite (29).

"Não esperava mesmo ser solta", declarou a escritora, visivelmente esgotada, na frente do presídio feminino de Bakirkoy, em Istambul, de onde foi liberada junto com a linguista Necmiye Alpay, de 70 anos.

Algumas horas antes, um tribunal de Istambul determinou que as duas intelectuais fossem postas em liberdade sob controle judicial. Isso significa que segue o processo contra elas e contra outras sete pessoas, por terem colaborado com o jornal pró-curdo Ozgur Gundem.

Os nove acusados podem ser condenados à prisão perpétua por pertencerem a uma "organização terrorista" - neste caso, ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Asli Erdogan e Necmiye Alpay estão proibidas de deixar o território.

"Eles pegam você e jogam você em um buraco. É muito duro. É como se eu ainda estivesse lá dentro", desabafou, bastante abalada.

vid-gkg/ib/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos