Paquistanês preso por engano pelo ataque de Berlim teme por sua família

Em Londres

O demandante de asilo paquistanês liberado depois de ter sido considerado em um primeiro momento o autor do atentado com um caminhão em Berlim disse temer pela segurança de sua família no Paquistão, em uma entrevista concedida nesta sexta-feira ao jornal The Guardian.

Detido a dois quilômetros do local do ataque e posteriormente liberado sem acusações, Naveed Baloch explicou ao jornal britânico que saía da casa de um amigo quando foi detido.

Durante seu interrogatório, o homem negou ser o autor do ataque que no dia 19 de dezembro deixou 12 mortos e 48 feridos: "Expliquei a eles com calma que não sabia dirigir. Que não sei nem mesmo como fazer um carro andar".

"Disse que no meu país tinha guerra, e que por isso vim para cá", ressaltou. E também que "na Alemanha nos dão de comer, concedem um acesso à saúde e à segurança. São como minha mãe. Se fizesse tais coisas contra o seu país (...) teria que me cortar em pedaços", relatou Baloch.

Agora o demandante de asilo, que afirmou ter fugido de seu país pelas ameaças de morte recebidas devido a sua participação em um movimento separatista, disse temer pela segurança de sua família.

"Agora todos sabem que vim à Alemanha porque temia por minha vida e que pedi asilo aqui. Isto deixa a minha família muito vulnerável e não posso fazer nada para protegê-la", explicou ao The Guardian, destacando que seus parentes já receberam ameaças.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos