Netanyahu nega delito, antes de ser interrogado pela polícia

Jerusalém, 2 Jan 2017 (AFP) - O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, suspeito de ter recebido "presentes ilegais" por parte de empresários, defendeu-se nesta segunda-feira de toda acusação de atos reprováveis, poucas horas antes de ser interrogado pela polícia.

"O que disse eu repito: não falarei nada porque não há nada", declarou durante uma reunião de seu partido, o conservador Likud, no Knesset (parlamento), segundo um vídeo online na página do Facebook de Netanyahu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos