Polícia mata um dos 'cérebros' do atentado de julho em café de Daca

Dacca, 6 Jan 2017 (AFP) - Um extremista considerado um dos cérebros do ataque contra um café de Daca que deixou 22 mortos em julho morreu nesta sexta-feira em uma operação policial realizada na capital bengalesa, anunciaram as autoridades.

Os restos de Nurul Islam Marzan e de outro suposto militante islamita foram encontrados em uma casa do bairro de Rayer Bazar, declarou à AFP um porta-voz da polícia metropolitana de Daca.

"Encontramos dois corpos, incluindo o de Marzan", declarou à AFP o comissário adjunto Yussuf Ali após a operação policial.

Ele afirmou que este último, de cerca de 30 anos, era um dos "cérebros" da sangrenta tomada de reféns de 1º de julho passado no restaurante Holey Artisan Bakery, situado no bairro residencial de Gulshan, no qual 22 pessoas, incluindo 18 estrangeiros, perderam a vida.

O grupo Estado Islâmico havia reivindicado o massacre de Daca e publicado imagens da ação antes do ataque lançado pela polícia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos