Rebelião militar na segunda cidade da Costa do Marfim

Bouaké, Costa do Marfim, 7 Jan 2017 (AFP) - O ministro marfinense da Defesa viajou neste sábado a Bouaké para tentar acabar com uma rebelião de soldados que tomaram o controle da cidade, a segunda da Costa do Marfim.

O movimento também ameaça chegar a Man, outra grande cidade do oeste do país.

A situação é muito tensa em Bouaké, tomada na véspera por militares sublevados e que reivindicam melhores salários e condições de trabalho.

Houve sons de disparos de armamento pesado durante toda a noite, segundo os habitantes.

O movimento de protesto começou na sexta-feira em Bouaké e se estendeu durante o dia para as cidades de Daloay e Daoukro (centro), e Korhogo e Odienné (norte), apesar de os militares já terem se retirado.

"Vamos discutir com nossos homens e encontrar soluções para esta situação que é compreensível, mas deplorável", afirmou o ministro da Defensa Alain-Richard Donwahi.

O presidente Alassane Ouattara, por sua parte, se encontra em Gana para a posse do novo chefe de Estado, mas deve voltar a Abdjan para se reunir com seus ministros.

Escolas e comércios estão fechados em Bouaké, reduto da sublevação.

str-eak/jlb/aoc.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos