Curdos sírios não foram convidados para negociações de Astana

Paris, 10 Jan 2017 (AFP) - Os curdos sírios não foram convidados para as negociações políticas que devem ocorrer no final de janeiro no Cazaquistão, impulsionadas pela Rússia e Turquia, lamentou nesta terça-feira o chefe do "escritório de representação do Rojava" (nome dado ao Curdistão sírio) em Paris, Khaled Issa.

"Nós não estamos convidados a Astana. Aparentemente, há um veto contra a nossa presença", disse Issa à AFP, que também é membro do Partido da União Democrática (PYD), proibido pela Turquia, que o vê como um grupo terrorista ligado ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

As negociações sobre a Síria devem acontecer no final de janeiro em Astana, patrocinadas pela Rússia e Turquia, que aplicaram um cessar-fogo geral em vigor desde 30 de dezembro em todo o território sírio, apesar dos intensos combates que continuam.

No momento não há data clara nem lista de convidados para estas negociações, que devem abrir caminho para um novo processo político em Genebra, sob os auspícios da ONU, previsto para fevereiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos