Cortar fundos dos EUA seria 'extremamente prejudicial', afirma Power

Nações Unidas, Estados Unidos, 13 Jan 2017 (AFP) - A embaixadora americana junto à ONU, Samantha Power, advertiu nesta sexta-feira que cortar o financiamento dos Estados Unidos às Nações Unidas seria "extremamente prejudicial" para os interesses de Washington, uma semana antes de o presidente eleito Donald Trump assumir o cargo.

Power disse aos jornalistas em sua última entrevista coletiva que "países como Rússia e China" se beneficiariam do enfraquecimento da posição de Washington nas Nações Unidas com a redução dos fundos americanos entregues ao organismo internacional.

"Lideramos o mundo em parte liderando na ONU", declarou Power, que entrega seu cargo na próxima semana após quatro anos como representante dos EUA nas Nações Unidas.

As declarações de Power ocorrem após a apresentação ao Senado americano de um projeto de lei que reduziria o financiamento americano na ONU até a derrogação da resolução do Conselho de Segurança que exige o fim da colonização nos territórios palestinos.

"Os Estados Unidos precisam da ONU", destacou Power.

Os Estados Unidos são de longe o maior contribuinte das Nações Unidas, respondendo por 22% do seu orçamento operacional, e financia 28% das missões de manutenção da paz, que atualmente custam 8 bilhões de dólares ao ano.

Trump já qualificou a ONU como "um clube para as pessoas se reunirem e se divertirem", e manifestou sua intenção de reduzir o apoio financeiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos