Conheça os principais nomes do gabinete Trump

Washington, 18 Jan 2017 (AFP) - Confira abaixo os principais nomes escolhidos pelo presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, para compor seu gabinete:

- Secretário de Estado: Rex Tillerson, 64 anos

CEO da ExxonMobil e empresário de laços fortes com a Rússia, Tillerson fez toda sua carreira no gigante petrolífero e é considerado um dos empresários com melhores vínculos entre as autoridades russas desde que administrou um consórcio de exploração de petróleo na ilha Sakhalin, no leste do país. Foi condecorado pelo presidente russo, Vladimir Putin, com a Ordem da Amizade.

- Procurador-Geral (Secretário da Justiça): Jeff Sessions, 70 anos

Senador conservador, promete proteger os direitos das minorias, especialmente dos negros, mas é acusado de racismo. Também se manifestou contra a proibição da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos (medida sugerida por Trump durante a campanha). Rejeitou a prática de tortura, mas defendeu a manutenção da prisão de Guantánamo, um "local seguro para encerrar prisioneiros".

Pessoalmente oposto ao aborto e ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, Sessions prometeu respeitar as decisões da Suprema Corte sobre esses temas.

- Secretário de Segurança Interna: John Kelly, 66 anos

Antigo membro dos Marines, deverá garantir o controle das fronteiras externas dos Estados Unidos, tratar da imigração e das concessões de cidadania americana. Além disso, terá sob sua órbita a segurança interna.

Entre 2012 e 2016, esse oficial, que perdeu um filho militar no Afeganistão, dirigiu o Comando Sul, unidade do Exército americano encarregada da América Latina.

- Secretário do Tesouro: Steven Mnuchin, 53 anos

Veterano de Wall Street, foi sócio do banco Goldman Sachs antes de lançar um fundo de investimentos apoiado por George Soros, partidário dos democratas. Financiou filmes em Hollywood, entre eles "Avatar" e "Esquadrão Suicida".

- Secretário do Comércio: Wilbur Ross, 79 anos

Milionário e ativo investidor americano, é mais conhecido por adquirir empresas das abaladas indústrias do aço e do carvão para vendê-las. Chegou a ser chamado de "o rei da falência" por seus investimentos nesses negócios.

- Secretário da Defesa: James Mattis, 66 anos

General da reserva dos Marines, liderou as tropas americanas no Oriente Médio e no Sudeste asiático de 2010 a 2013, anos durante os quais ganhou o apelido de "Cachorro Louco". Especialista em guerra, tem especial interesse pelo Irã. O Congresso terá de aprovar sua indicação, já que uma lei impede os generais de serem secretário de Defesa nos sete anos seguintes depois de ter deixado sua função militar.

- Secretário do Interior: Ryan Zinke, 55 anos

Representante por Montana, trabalhou 22 anos nas forças especiais Navy Seals (1986-2008). Esse caçador é defensor do oleoduto com o Canadá, Keystone XL, bloqueado pelo presidente Barack Obama, e entrou em confrontos várias vezes com ambientalistas sobre o uso de energias fósseis.

- Diretor de Inteligência Nacional: Dan Coats, 73 anos

Como diretor de Inteligência Nacional, será encarregado de coordenar as agências de espionagem e de segurança. Senador republicano por Indiana em final de mandato, deve tranquilizar os que suspeitam da indulgência de Trump em relação à Rússia de Vladimir Putin.

Coats é um dos seis senadores americanos proibidos por Moscou de ingressar na Rússia, em 2014, em resposta às sanções americanas pela invasão russa da Crimeia.

- Secretário da Energia:

Rick Perry, que no passado propôs eliminar o próprio departamento de Energia, foi governador do Texas. Será encarregado de um vasto ministério que inclui a consolidação das energias fósseis, a melhoria da segurança nuclear e implementação de inovações no campo da energia, dentro de um governo totalmente cético em relação às mudanças climáticas.

- Secretária da Educação: Betsy DeVos, 58 anos

Milionária republicana do Michigan, é ativista a favor de alternativas às escolas públicas locais, um movimento que defende a entrega aos pais de créditos e cheques fiscais para que possam optar por escolas fora do sistema público.

- Secretário da Saúde: Tom Price, 62 anos

Legislador da Geórgia e cirurgião ortopedista de formação, foi um forte crítico da reforma de Saúde do presidente Barack Obama, o chamado "Obamacare", o qual permitiu a cobertura de saúde para 20 milhões de americanos.

- Secretário da Habitação e do Desenvolvimento Urbano: Ben Carson, 65 anos

Neurocirurgião aposentado e adversário de Trump nas prévias republicanas, Carson é até o momento o único afro-americano do novo gabinete. Nascido em um bairro pobre de Detroit, extremamente religioso e sem experiência em cargos públicos, terá a tarefa de recuperar as zonas marginalizadas das principais cidades do país.

- Secretário do Trabalho: Andrew Pudzer, 66 anos

É CEO da empresa CKE Restaurants e ex-proprietário das lanchonetes Carl's Jr e Hardee's. É contra o aumento do salário mínimo e apoia o uso da tecnologia para cortar custos, eliminando empregos.

- Secretária dos Transportes: Elaine Chao, 63 anos

Nascida em Taiwan, foi secretária do Trabalho no governo de George W. Bush, tornando-se a primeira mulher de origem asiática a ocupar o gabinete ministerial nos EUA. É casada com o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell.

- Embaixadora na ONU: Nikki Haley, 44 anos

Governadora da Carolina do Sul, Haley era pouco conhecida no país até que um tiroteio em seu estado decorrente de fortes tensões raciais lhe deram protagonismo, sobretudo, por remover a bandeira confederada de todos os prédios públicos estaduais. A bandeira é considerada um símbolo racista.

- Chefe de Gabinete: Reince Priebus, 44 anos

Priebus é presidente do Comitê Nacional do Partido Republicano. Sua nomeação é vista como um gesto de aproximação da estrutura partidária, por parte de Trump, já que a maioria dos figurões republicanos lhe deu as costas na campanha.

É considerado um dirigente partidário próximo do atual presidente da Câmara de Representantes, Paul Ryan, um dos mais enérgicos críticos de Trump na corrida eleitoral. Sua nomeação pode ser uma ponte essencial para uma governabilidade tranquila.

- Agência de Proteção Ambiental: Scott Pruitt, 48 anos

Pruitt é atualmente secretário de Justiça do estado de Oklahoma e promove uma ação contra a Agência de Proteção Ambiental, que agora passará a dirigir.

Como secretário estadual de Justiça, Pruitt promoveu uma batalha judicial contra as medidas do presidente Barack Obama para reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa nas centrais elétricas a carvão.

- Agência Federal de Desenvolvimento da Pequena Empresa: Linda McMahon, 68 anos

Duas vezes candidata a senadora por Connecticut, agora vai liderar a instituição que apoia 28 milhões de pequenas empresas americanas. O setor emprega 25% da população ativa do país.

- Chefe de Estratégia: Steve Bannon, 63 anos

Steve Bannon é o diretor-executivo da empresa que controla o "site" Breitbart, que reflete as posições dos setores mais à direita do Partido Republicano e é, com frequência, acusado de dar voz a teorias conspiratórias, muitas vezes de alto conteúdo racial. Bannon é um feroz crítico da cúpula republicana, de forma que sua convivência com Priebus no alto escalão do governo abre muitas interrogações.

- Diretor da CIA: Mike Pompeo, 52 anos

É conhecido por ser um falcão do Partido Republicano e um feroz crítico do acordo nuclear com o Irã. Com o apoio econômico dos multimilionários e conservadores irmãos Charles e David Koch, foi eleito em 2010 pelo Kansas para a Câmara de Representantes. Depois, integrou-se ao Tea Party, a corrente ultraconservadora do Partido Republicano. Pompeo ganhou mais notoriedade em temas de Inteligência em 2013 ao ser designado membro dessa Comissão.

- Conselheiro de Segurança Nacional: Michael Flynn, 57 anos

Conselheiro militar de Trump, esse general da reserva e veterano das guerras do Iraque e do Afeganistão causou polêmica com suas declarações radicais no limite da islamofobia. Tem posturas mais flexíveis em relação à China e à Rússia.

- Conselheiro da Casa Branca: Donald McGahn, 48 anos

Ex-presidente da Comissão Federal Eleitoral (FEC, na sigla em inglês), McGahn foi sócio do escritório jurídico Jones Day, em Washington. Abordará, sobretudo, assuntos político-legais.

- Assessora na Casa Branca: Kellyanne Conway, 49 anos

Ex-diretora de campanha de Trump, a primeira da história dos Estados Unidos cujo candidato conseguiu vencer uma corrida presidencial. Com experiência em consultoria política, Conway assumiu a responsabilidade de dirigir a campanha de Trump após a partida do ex-quarterback Corey Lewandowski, que enfrentava denúncias de maus-tratos contra mulheres jornalistas. Tornou-se uma peça-chave na consolidação da campanha e na aproximação de Trump com os pesos pesados do Partido Republicano.

À exceção de Priebus, Flynn, Bannon e Kellyanne, os demais precisam ser confirmados pelo Senado.

bur-sst/ja/tm/cn/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos