Parlamento turco aprova ampliação de poderes de Erdogan

Ancara, 21 Jan 2017 (AFP) - O Parlamento turco adotou na madrugada deste sábado, em segundo votação, a reforma constitucional que amplia os poderes do presidente Recep Tayyip Erdogan, decisão que deverá ser submetida a referendo.

A reforma obteve 339 votos, nove a mais que a maioria exigida de três quintos para sua aprovação.

"Nossa nação dará a última palavra sobre o tema. Ela terá a decisão final", disse o primeiro-ministro, Binali Yildirim, após a votação.

"Que ninguém tenha dúvidas, nossa nação tomará (...) a mais justa das decisões".

A nova Constituição prevê transferir a maior parte do poder executivo do primeiro-ministro para o presidente da República.

Este formato permitiria a Erdogan, eleito presidente em 2014 após três mandatos como chefe de governo (2003-2014), permanecer no poder até 2029.

Se o texto for definitivamente aprovado, Erdogan poderá cortar os laços com seu partido, contando com faculdades para nomear e demitir ministros, eleger um ou vários vice-presidentes e emitir decretos.

Este seria o primeiro sistema presidencialista na República turca, que atualmente é regida por uma Constituição que data do golpe de Estado militar de 1980.

A possibilidade de que Erdogan obtenha mais poder preocupa seus opositores, que denunciam os excessos autoritários do presidente, especialmente desde a tentativa de golpe de Estado de 15 de julho.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos