Negociações com ELN buscarão desescalada rápida na Colômbia (governo)

Bogotá, 22 Jan 2017 (AFP) - As negociações de paz com a guerrilha do ELN buscarão uma desescalada rápida do conflito armado de mais de cinco décadas na Colômbia, afirmou o negociador-chefe do governo com a organização, Juan Camilo Restrepo.

"Não é apenas uma meta. Na agenda negociada com o ELN há um ponto que dá prioridade à desescalada desde o primeiro dia de negociações em Quito", disse Restrepo ao jornal "El Tiempo".

As negociações começarão formalmente em 7 de fevereiro, sem que se tenha acertado um cessar-fogo, e em meio a confrontos constantes e a ações do grupo guerrilheiro.

O líder das negociações informou que as conversas terão duas mesas simultâneas, que estudarão a participação da sociedade civil no processo e "assuntos humanitários".

Segundo Restrepo, não se buscará que o ELN se some ao acordo fechado com a guerrilha das Farc, mas assinalou que "haverá capítulos dos acordos de Havana aplicáveis à negociação com o ELN".

O conflito armado colombiano, do qual participaram guerrilhas, paramilitares, grupos criminosos e forças estatais, já deixou pelo menos 260 mil mortos, 60 mil desaparecidos e 6,9 milhões de deslocados, em mais de meio século.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos