Novos combates no Iêmen deixam quase 70 mortos

Adem, 22 Jan 2017 (AFP) - Pelo menos 66 pessoas morreram nas últimas 24 horas por causa de bombardeios e intensos combates entre o exército e os rebeldes registrados na costa ocidental do Iêmen, informaram neste domingo fontes médicas e de segurança.

Os rebeldes xiitas huthis e seus aliados, partidários do ex-presidente Ali Abdalah Saleh, perderam 52 combatentes nos confrontos ou nos bombardeios da coalizão liderada pela Arábia Saudita na região de Moja, perto do mar Vermelho, informaram as fontes.

Os rebeldes transportaram seus mortos ao hospital militar de Hodeida, a grande cidade portuária que controlam no oeste, declarou à AFP uma fonte médica, acrescentando que seu estabelecimento recebeu 38 mortos neste domingo e 14 no sábado, além de 55 rebeldes feridos.

Entre as forças leais ao governo, 14 soldados morreram e 22 ficaram feridos, segundo fontes médicas em Adén (sur), onde fica a sede do governo do presidente Abd Rabo Mansur Hadi.

Aviões de combate e helicópteros de ataque Apache da coalizão árabe fazem uma intensa campanha de bombardeios em apoio às forças pró-Hadi, que se encontravam neste domingo a cerca de dez quilômetros de Moja, de acordo com as mesmas fontes.

No dia 7 de janeiro, as forças pró-Hadi lançaram uma ampla ofensiva na região de Dhubab, perto do mencionado estreito de Bab Al Mandeb, importante passagem marítima que liga o mar Vermelho ao oceano Índico, no sudoeste do Iêmen.

As minas colocadas pelos rebeldes em torno de Moja dificulta o avanço das forças pró-governamentais, segundo fontes militares.

bur-faw/tm/acc-jvb/age/cc

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos