Trump volta a atacar México e diz que relação deve mudar já

Washington, 27 Jan 2017 (AFP) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou nesta sexta-feira a atacar o México, um dia após o cancelamento de uma reunião com seu colega Enrique Peña Nieto, alegando que a relação deve mudar imediatamente.

"O México se aproveitou dos Estados Unidos por muito tempo. O enorme déficit comercial e a pouca ajuda em uma frágil fronteira é algo que deve mudar JÁ!", expressou o presidente na rede social Twitter, sua arma favorita.

As relações entre México e Estados Unidos, dois países vizinhos e associados pelo Tratado de Livre Comércio da América do Norte (TLCAN), alcançaram na quinta-feira seu ponto mais baixo em décadas, em uma súbita escalada de tensões que se acelerou dramaticamente desde a chegada de Trump à Casa Branca.

Os desentendimentos aumentaram na quarta-feira, dia em que Trump assinou dois decretos sobre vigilância migratória. O primeiro deles determina o início "imediato" dos passos necessários para construir um "muro físico" na fronteira.

Além disso, o presidente americano insistiu que o México custeará, de uma forma ou de outra, a obra.

Mas diante da negativa mexicana de aceitar pagar o muro, Trump sugeriu na quinta-feira no Twitter que, neste caso, era melhor cancelar a visita marcada de Peña Nieto.

O presidente mexicano confirmou posteriormente o cancelamento também pelo Twitter.

Na noite de quinta-feira, o chanceler mexicano, Luis Videgaray, disse em Washington que a possibilidade de que seu país pague pelo muro "é inegociável".

Nesta sexta-feira, no entanto, uma das pessoas mais próximas de Trump, sua assessora Kellyanne Conway, disse a uma rede de televisão que o México deve pagar pelo muro porque "obtém muito" dos Estados Unidos.

O México "não quer pagar porque quer continuar permitindo que pessoas, e assumo que também drogas - já que não estão fazendo muito para detê-las - passem por nossa fronteira. O México deve pagar pelo muro porque obtém muito deste país", disse Conway à rede de TV CBS.

Com relação à ideia lançada na quinta-feira por Sean Spicer de uma taxa de 20% sobre as importações provenientes do México, Conway acrescentou outra: a de atuar sobre as remessas enviadas ao seu país por mexicanos que vivem nos Estados Unidos.

"A principal fonte de renda ao México é de mexicanos que trabalham aqui e enviam dinheiro. Por isso, a repatriação de fundos é uma peça importante na visão do presidente Trump", afirmou.

"Temos que parar com isso de ter gente e drogas passando por nossa fronteira. Somos uma nação soberana que gasta bilhões ajudando outros países a proteger suas fronteiras. É o momento de fazermos o mesmo pelos Estados Unidos", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos