Trump pediu inicialmente proibição de entrada dos muçulmanos nos EUA

Em Nova York

  • Jonathan Ernst/Reuters

    O presidente dos EUA, Donald Trump

    O presidente dos EUA, Donald Trump

Donald Trump pediu inicialmente um decreto para "proibir os muçulmanos" de entrar nos Estados Unidos, que o governo transformou em uma ordem que suspende a entrada no país de refugiados e cidadãos de sete países de maioria muçulmana, afirmou o conselheiro do presidente, Rudy Giuliani.

"Quando mencionou pela primeira vez, disse 'banimento dos muçulmanos'", afirmou o ex-prefeito de Nova York e assessor do presidente para segurança cibernética em uma entrevista ao canal "Fox News" no sábado (28).

"Mostre a maneira de fazer isto legalmente", teria afirmado Trump a Giuliani, segundo o assessor.

Giuliani explicou que ele e uma equipe de juristas "concentraram, ao invés da religião, nas áreas do mundo que criam perigo", para redigir o decreto anti-imigração que provoca revolta ao redor do mundo.

Trump assinou na sexta-feira um decreto que suspende a entrada de refugiados muçulmanos durante 120 dias, assim como a entrada por 90 dias de cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen.

Giuliani disse que estes países foram escolhidos porque são "as áreas do mundo que criam perigo para nós".

"Tem base factual, não uma base religiosa", completou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos