Diplomatas americanos protestam contra decreto de Trump sobre imigração

Washington, 30 Jan 2017 (AFP) - Um número ainda não revelado de diplomatas americanos preparou um protesto contra a nova política de Washington para imigrantes e refugiados de sete países muçulmanos, apesar de a Casa Branca ter avisado que devem "seguir o programa".

"Estamos cientes de uma mensagem de dissidência que está circulando contra a ordem executiva", afirmou o porta-voz interino do Departamento de Estado americano, Mark Toner, acrescentando que o documento ainda não foi formalmente apresentado.

O Departamento de Estado possui um mecanismo formal, chamado "Canal de Dissidência", pelo qual os diplomatas podem registrar sua preocupação com o impacto que uma decisão oficial pode ter sobre a política externa do país.

Em resposta, a Casa Branca mandou uma mensagem que não deixou dúvidas: o presidente Donald Trump espera que os diplomatas cumpram as instruções, ou que busquem outro emprego.

"Estes burocratas de carreira têm problemas com isso? Considero que devem seguir o programa, ou sair. Isso se refere à segurança dos Estados Unidos", declarou o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, nesta segunda-feira (30).

Na opinião do porta-voz da Presidência, "a maioria dos americanos está de acordo com o presidente" na necessidade de manter o país seguro.

Toner optou por não divulgar o conteúdo do documento, que já está circulando no Canal de Dissidência, ou relatar quantos diplomatas já assinaram, mas confirmou que se refere ao decreto assinado por Trump na sexta-feira intitulado "Proteger a nação da entrada de terroristas estrangeiros nos Estados Unidos".

A assinatura do decreto provocou uma onda de protestos em todo o país e reações iradas no exterior. No fim de semana, os aeroportos americanos foram tomados pelo caos.

Um respeitado blog de assuntos relacionados à segurança, o Lawfare, reproduziu on-line uma versão do documento de cinco páginas nesta segunda-feira.

"Centenas de funcionários de serviços estrangeiros têm a intenção de adicionar suas assinaturas ao memorando da dissidência", afirmou o blog.

O Lawfare considerou o gesto dos diplomatas que participam do protesto "uma importante união por parte de funcionários dos serviços estrangeiros contra o decreto".

dc-ahg/cd/mr/cc/cb/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos