Obama denuncia toda discriminação fundada na 'crença ou religião'

Washington, 30 Jan 2017 (AFP) - O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, quebrou seu silêncio nesta segunda-feira, dez dias após a sua saída do poder, para incentivar os americanos a se manifestar em defesa da democracia, em um comunicado divulgado por um porta-voz.

Enquanto manifestações contestam a política de Donald Trump, em particular seu decreto sobre a imigração, um porta-voz de Barack Obama, Kevin Lewis, rejeitou qualquer comparação com a política externa do democrata e disse que "o presidente está em desacordo fundamental com a noção de discriminação de indivíduos em razão de suas crenças ou religião".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos