Itália cria 'Fundo África' para lutar contra imigração clandestina

Roma, 1 Fev 2017 (AFP) - O governo italiano anunciou nesta quarta-feira a criação de um fundo de 200 milhões de euros destinado a ajudar vários países da África a reduzir os fluxos de migrantes clandestinos com destino à península.

Previsto pela lei de finanças 2017, este "Fundo África" tem por objetivo evitar as partidas do sul do Mediterrâneo, declarou o ministro das Relações Exteriores italiano, Angelino Alfano, durante a assinatura do decreto que ativa este dispositivo.

Diferente do valor habitualmente consagrado à cooperação para o desenvolvimento, este novo fundo está dedicado "à luta contra o tráfico de seres humanos e à imigração clandestina", disse.

Os três países particularmente envolvidos por esta medida, Líbia, Níger e Tunísia, são pontos de partida ou de trânsito de uma grande parte dos migrantes que chegam todos os anos à costa italiana.

Os montantes concedidos aos Estados poderão ser consagrados à formação de forças de segurança, equipamentos ou instrumentos técnicos que ajudem a reforçar as "fronteiras externas" da Itália.

"Não construímos um muro no Mediterrâneo, não poderíamos fazer isso e também não faríamos", insistiu, no entanto, Alfano, em uma óbvia alusão à política do novo presidente americano, Donald Trump, em matéria de imigração.

"Doamos dinheiro a estes países, mas em troca eles devem utilizá-lo para reduzir o número de migrantes clandestinos que chegam a nós", insistiu Alfano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos