Juiz acolhe ação a favor de iemenitas afetados por decreto de Trump

Los Angeles, 2 Fev 2017 (AFP) - Um juiz da Califórnia emitiu uma ordem judicial, proibindo o governo dos Estados Unidos de impedir a entrada no país de mais de duas dúzias de iemenitas com vistos válidas, em um novo desafio ao polêmico decreto migratório do presidente Donald Trump.

O magistrado Andre Birotte acolheu uma petição da advogada de imigração Julie Goldberg e de seu sócio Daniel Covarrubias-Klein em nome de 28 iemenitas que ficaram retidos na minúscula nação africana do Djibuti em trânsito para os Estados Unidos, após a emissão do decreto.

Alguns deles têm dupla cidadania (iemenita-americana) e possuem "green card".

A sentença se soma outras similares de juízes de outros estados, como Nova York, Virgínia e Washington.

Entre os afetados, está uma família, na qual o pai, a mãe e uma filha já são cidadãos dos Estados Unidos, e o outro filho, de três anos, que está tentando obter o visto, teve seu passaporte apreendido na embaixada americana no Djibuti.

Goldberg disse à AFP que 214 clientes iemenitas afetados pela ordem executiva de Trump e que estão retidos no Djibuti, sem poder voltar a seu país em guerra.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos