Israel aprova exportação de cannabis medicinal

Jerusalém, 5 Fev 2017 (AFP) - O comitê ministerial de Israel aprovou neste domingo um projeto de lei para legalizar a exportação de cannabis para uso medicinal, anunciou o gabinete da ministra da Justiça, Ayelet Shaked.

A adoção do texto por este comitê, que reúne parte dos ministros do governo, significa que o projeto agora poderá ser referendado pelo governo, mas ainda não foi divulgada nenhuma data para uma primeira leitura.

Embora o uso recreativo da cannabis seja proibido em Israel, nos últimos 10 anos seu uso terapêutico foi não só permitido, mas encorajado.

Em 2015, os médicos prescreveram a erva para cerca de 25.000 pacientes que sofrem de câncer, epilepsia, estresse pós-traumático e doenças degenerativas.

Em janeiro passado, o ministro da Agricultura anunciou um investimento de oito milhões de shekels (cerca de dois milhões de dólares) em projetos de pesquisa sobre a cannabis.

No ano passado, o gigante do tabaco americano Philip Morris investiu US$ 20 milhões na empresa israelense Syke, que produz inaladores para a cannabis medicinal.

No mês passado, o ministro israelense da Segurança Pública, Gilad Erdan, anunciou seu apoio à descriminalização do uso recreativo da maconha, adotando as conclusões de uma comissão criada para estudar o assunto que recomendou a mudança na legislação.

scw/srm/pc/age/db

PHILIP MORRIS INTERNATIONAL

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos