Kuczynski chama de "traição" supostos subornos da Odebrecht a Toledo

Bogotá, 5 Fev 2017 (AFP) - O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, classificou neste domingo de "traição" e "vergonha" para seu país os supostos atos de corrupção do ex-presidente Alejandro Toledo, suspeito de receber subornos da Odebrecht.

"Se tudo isso for confirmado, é uma grande vergonha, uma traição ao Peru e uma falta de respeito a nós, seus colegas, que tanto nos esforçamos para fazer um bom governo", disse o chefe de Estado à W Radio da Colômbia.

Kuczynski afirmou sentir-se "muito triste" com a informação divulgada na noite de sexta-feira pela imprensa peruana, de que o governo de Toledo (2001-2006) recebeu 20 milhões de dólares em subornos de parte da Odebrecht em troca da licitação da obra da rodovia interoceânica que une o Brasil ao Peru.

Desse dinheiro, o ex-presidente teria recebido pelo menos 11 milhões de dólares, de acordo com publicações de sites e dos jornais La República, Perú.21 e El Comercio.

No sábado houve uma operação na casa do ex-presidente, com a apreensão de cofres, caixas e vídeos.

A Odebrecht admitiu ter pago 29 milhões de dólares em subornos do Peru, entre 2005 e 2014.

Esse período abarca os governos de Alejandro Toledo, Alan García e Ollanta Humala, que também está sendo investigado por lavagem de dinheiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos