Líderes democratas apoiam suspensão do decreto migratório de Trump

Washington, 6 Fev 2017 (AFP) - Um grupo de personalidades do Partido Democrata, incluindo os ex-secretários de Estado Madeleine Albright e John Kerry, pediram nesta segunda-feira a um tribunal de apelações que mantenha a suspensão do decreto migratório do presidente Donald Trump.

Em um texto submetido à Corte de Apelações do Nono Circuito, os democratas argumentam que o decreto presidencial assinado em 27 de janeiro "foi mal concebido, mal aplicado e mal explicado".

Na sexta-feira, um juiz federal ordenou a suspensão do decreto que proibia por 120 dias a entrada nos Estados Unidos de cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen, todos de maioria muçulmana.

As medidas migratórias foram suspensas no sábado, mas nesse mesmo dia o Departamento de Estado recorreu da suspensão ante à justiça.

No dia seguinte, o tribunal rejeitou novamente a aplicação do decreto à espera de mais informações dos estados de Washington (noroeste) e Minnesota (norte), que entraram com a ação contra o decreto de Trump.

Entre as personalidades democratas que assinaram o texto, vários funcionários do governo do ex-presidente Barack Obama, a ex-secretária de Segurança Interna Susan Rice, o ex-secretário de Segurança Interna, Janet Napolitano, e o ex-chefe da CIA Leon Panetta.

"Restabelecer a ordem executiva causaria estragos na vida de inocentes e nos valores americanos", acrescenta o texto.

Os democratas avisaram que a ordem presidencial poderia pôr em perigo as tropas americanas no exterior e interromper a cooperação de contraterrorismo, promovendo a propaganda do grupo jihadista Estado Islâmico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos