Família denuncia que opositor russo foi intoxicado por 'substância desconhecida'

Moscou, 7 Fev 2017 (AFP) - O opositor russo Vladimir Kara-Mourza, hospitalizado há cinco dias e que continua em estado crítico há cinco dias, foi intoxicado por uma substância desconhecida, afirmou nesta terça-feira sua esposa, Evguenia, falando à AFP.

Na semana passada, Kara-Mourza, que coordena as atividades do movimento Open Rusia, do ex-oligarga no exílio, Mikhail Khodorkovski, foi colocado sob assistência respiratória e cuidados intensivos.

Sua esposa afirmou que os médicos ainda não conseguiram estabelecer a origem da intoxicação, e amostras de sangue foram enviadas a laboratórios da França e Israel.

Por sua parte, Vadim Prokhorov, o advogado do opositor, confirmou à AFP que os médicos detectaram a presença de substâncias tóxicas desconhecidas.

Em 2015, Vladimir Kara-Mourza foi hospitalizado por uma falha renal aguda. Os médicos encontraram então em seu sangue restos de uma intoxicação por metais pesados.

Depois de se recuperar, o opositor pediu ao comitê de investigação russa que abrisse uma ocorrência pasra determinar se havia sido envenenado voluntariamente.

Dentro da Open Rusia, Kara-Mourza realiza projetos para apoiar jovens opositores nas próximas eleições legislativas em setembro.

O anúncio de sua hospitalização provocou inúmeras reações em todo o mundo, entre elas a do senador americano Marco Rubio, que acusou diretamente o presidente russo de ter envenenado o opositor.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos