Austrália viveu grande desprendimento de terra há 300.000 anos

Sydney, 8 Fev 2017 (AFP) - Um gigantesco desprendimento de terra ocorrido há 300.000 anos diante da costa da Austrália pode ter provocado um enorme tsunami, anunciou nesta quarta-feira um grupo de cientistas australianos que detectou seu rastro.

O afundamento do talude continental, provocado provavelmente por um terremoto, foi descoberto por acaso por um grupo de pesquisadores que estavam cartografando em três dimensões os fundos marinhos da zona da grande barreira de corais australiana.

Depois de localizar oito colinas submarinas "no meio do nada", os cientistas descobriram, graças à cartografia, uma grande cavidade no talude, indicou Robin Beaman da James Cook University, um dos autores do estudo publicado na revista Marine Geology.

"Falta uma parte gigantesca do talude continental de 20 quilômetros de comprimento e situado a 8 quilômetros de profundidade", explicou à AFP.

O desprendimento foi descoberto em uma zona a 75 km diante da costa de Innisfail, uma localidade do estado de Queensland, e arrastou 32 quilômetros de matéria, "30 vezes mais que o Uluru", explicou Beaman em referência a uma conhecida rocha australiana de 348 metros de altura, também conhecida como Ayers Rock.

A data provável do desprendimento foi calculada datando os fósseis dos corais encontrados em águas profundas e situados a mais de um quilômetro das colinas submarinas. O coral mais antigo tem 302.000 anos.

Um desprendimento de terra de tal magnitude pode ter gerado ondas de tsunami de 27 metros de altura, cujo efeito pode ter sido amortecido pelos muitos recifes de corais, segundo o estudo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos