Casa Branca rejeita críticas sobre ataque a civis no Iêmen

Washington, 9 Fev 2017 (AFP) - A Casa Branca rejeitou vigorosamente, nesta quarta-feira (8), qualquer crítica ao ataque lançado há dez dias no Iêmen, o qual deixou várias vítimas civis, por considerar que seria um insulto à memória do soldado americano morto na operação.

As forças especiais americanas deflagraram um ataque contra um local ocupado pela Al-Qaeda na Península Arábica (AQPA). A primeira operação militar importante autorizada por Donald Trump teve um desfecho ruim, com a morte de um soldado e de várias mulheres e crianças que estavam com os combatentes da Al-Qaeda.

"O ataque do Iêmen foi um grande sucesso", rebateu o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer.

"Vidas americanas serão salvas, graças a ele (...), e ataques serão evitados. Qualquer sugestão no sentido oposto seria denegrir os atos corajosos [do soldado morto]. Ponto", insistiu.

"O Iêmen, mais do que qualquer outro país, compreende nossa luta contra o grupo Estado Islâmico, e acho que vamos continuar trabalhando com eles para reforçar nossas relações diplomáticas", afirmou Spicer.

Há uma semana, Trump visitou a base aérea de Dover, em Delaware, para receber o corpo de William "Ryan" Owens, de 36, o soldado morto na operação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos