Senado dos EUA tem sessão tensa para confirmar secretário de Justiça

Washington, 8 Fev 2017 (AFP) - Os senadores americanos demonstraram nervos à flor da pele antes de votar a confirmação de Jeff Sessions como novo secretário de Justiça, a ponto de uma senadora ter sido intimada a interromper seu discurso e voltar a seu assento.

A democrata Elizabeth Warren lia, na noite de terça-feira, uma carta escrita em 1986 por Loretta King, viúva de Martin Luther King, com severas críticas ao senador Sessions, mas foi chamada a se silenciar.

O líder do Partido Republicano no Senado, Mitch McConnell, apelou a um artigo raramente usado no regulamento desta câmara, que veta comentários altamente críticos de um senador a outro para pedir que o discurso fosse interrompido.

"A senadora deve retomar seu assento", ordenou o senador Steven Daines, em um gesto que gerou enorme escândalo e se tornou nesta quarta-feira o centro das discussões sobre Sessions.

Embora não seja raro que um senador faça objeções a declarações de outro membro desta câmara, o pedido para que Warren fosse interrompida e voltasse ao seu assento constituiu um gesto muito poucas vezes visto no congresso americano.

O senador Bernie Sanders, ex-pré-candidato democrata à Presidência, pediu a palavra nesta quarta-feira e procedeu à leitura por inteiro da carta escrita por Loretta King, embora desta vez nenhum senador conservador tenha apresentado moção de censura.

Outro senador democrata, Sheldon Whitehouse, disse que o ocorrido era francamente inaceitável. "Não sei mais como devemos fazer nosso trabalho. Devemos fechar os olhos diante de uma informação negativa?", disse.

Enquanto isso, o senador conservador Horrin Hatch alegou que os legisladores devem se tratar com respeito "ou isto vai virar uma selva".

A viúva de Luther King escreveu a carta quando Sessions era candidato a um posto de juiz federal no estado do Alabama. Segundo a carta, Sessions usava "seu poder para intimidar e ameaçar eleitores negros".

Já nesta ocasião, sua trajetória repleta de denúncias por limitar o direito a voto dos eleitores negros fez naufragar a candidatura de Sessions ao cargo de juiz federal.

O Senado deve votar para confirmar Sessions à tarde e a previsão é de que o polêmico senador - o mais ferrenho defensor de uma linha dura contra os imigrantes - seja aprovado.

A tensão já tinha ficado evidente na véspera, quando o Senado votou para confirmar a nomeação da milionária Betsy DeVos como nova secretária de Educação.

DeVos foi confirmada no cargo, mas depois de um amargo empate de 50 votos a favor e 50 contra, que obrigou a mobilização do vice-presidente, Mike Pence, para assegurá-la no cargo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos