Corte alemã proíbe parte de poema satírico sobre presidente turco

Hamburgo, 10 Fev 2017 (AFP) - Um tribunal de Hamburgo, norte da Alemanha, confirmou a proibição a um humorista alemão de recitar em público passagens de um poema satírico nos quais insulta o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, texto que gerou uma crise diplomática.

O poema de Jan Böhmermann, difundido pela cadeia de tv pública ZDFneo, mostra Erdogan como pedófilo e adepto da zoofilia.

Dos 24 versos originais do poema, que provocou a revolta do presidente turco e a intervenção da chanceler alemã, agora só poderão ser lidos seis.

"Apesar de ser evidente que a descrição da vida sexual do autor da ação é absurda, isso não significa que a pessoa envolvida tenha de suportar injúrias e insultos", sentenciou o tribunal.

Jan Böhmermann explicou que optou deliberadamente pelo exagero para demonstrar o que é difamação real e destacar a forma absurda com que as críticas políticas contra Erdogan não são permitidas na Turquia.

Este caso foi uma das muitas fontes de tensão entre Alemanha e Turquia em 2016.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos