Trump continua confiante na vitória de decreto migratório na Justiça

Washington, 10 Fev 2017 (AFP) - O presidente americano, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (10) estar confiante em que sua administração vai prevalecer na batalha contra a polêmica ordem executiva anti-imigração e prometeu agir rapidamente com medidas de segurança adicionais.

Um Tribunal de Apelações decidiu de forma unânime, na quinta-feira (9), manter suspensa a ordem de Trump que barra refugiados e cidadãos de sete países de maioria muçulmana de entrar nos Estados Unidos.

Hoje, na entrevista coletiva com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, Trump voltou a prometer fazer "o necessário para manter nosso país a salvo".

"Continuaremos agindo o mais rápido possível para ter medidas adicionais de segurança em nosso país. Isso será em algum dia da próxima semana", antecipou, sem especificar o que será feito sobre o assunto.

O governo ainda tem a possibilidade de apelar à Suprema Corte, embora o processo possa voltar para mais uma revisão nas instâncias inferiores.

Em defesa da suspensão, o Tribunal de Apelações dos EUA em São Francisco disse na quinta-feira que o governo não havia fornecido qualquer evidência de que qualquer estrangeiro dos países listados na ordem executiva teriam realizado ataques terroristas em solo americano.

No início desta sexta (10), Trump tuitou, chamando a sentença do tribunal de "uma decisão vergonhosa". No tuíte, citou um post do Lawfare, um blog sobre questões de lei e Segurança Nacional.

O trecho em questão falava que havia considerado "notável" que o Tribunal de Apelação "sequer tenha se incomodado em citar" um estatuto dos EUA que autoriza o presidente a suspender a entrada de toda e qualquer classe de estrangeiros que considere prejudicial aos interesses do país.

O blog concluiu, afirmando que o Tribunal de Apelações chegou à decisão correta.

A decisão foi correta - alegou - "pela simples razão de que não há motivo para mergulhar o país novamente em turbulência, enquanto os tribunais abordam o mérito desse assunto nas próximas semanas".

Durante a coletiva de imprensa com Abe, Trump disse que, como presidente, aprendeu sobre as "tremendas ameaças para o nosso país".

"Nós não vamos permitir que isso aconteça. Nós iremos avançar e continuar a fazer as coisas para tornar o nosso país seguro. Irá acontecer rapidamente", insistiu.

"Não vamos permitir pessoas em nosso país que estão procurando fazer mal", disse ele, acrescentando que "vamos permitir muitas pessoas em nosso país que amarão o nosso povo e irão fazer o bem para o nosso país".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos