Casa Branca fala abertamente em novo decreto migratório

Washington, 12 Fev 2017 (AFP) - A Casa Branca confirmou, neste domingo (12), que contempla sancionar um novo decreto migratório, depois que a Justiça suspendeu a medida aprovada pelo presidente Donald Trump em 27 de janeiro, amplamente rejeitada pela comunidade internacional.

"Contemplamos todas as opções possíveis", declarou o conselheiro sênior para Políticas, Stephen Miller, em entrevista ao canal Fox.

Segundo ele, o governo tem a possibilidade de apelar à Suprema Corte, defender-se perante os tribunais, ou aprovar um novo decreto.

"Não há dúvidas sobre as prerrogativas do presidente", afirmou Miller, considerado o inspirador das primeiras medidas sobre política migratória do governo Trump.

"O presidente tem o poder (...) de proibir o ingresso de algumas pessoas no território [americano]", insistiu.

Na sexta-feira (10), Trump já havia mencionado a possibilidade de preparar "um decreto totalmente novo" e antecipou que anunciará novas medidas "talvez na segunda, ou na terça-feira".

O decreto proibia a entrada nos Estados Unidos dos cidadãos de sete países de maioria muçulmana, por 90 dias, e de refugiados de qualquer origem, por 120 dias.

A ordem executiva foi suspensa em 3 de fevereiro pelo juiz federal de Seattle James Robart e confirmada na última quinta (9) pela Corte de Apelações de São Francisco. O tribunal rejeitou a alegação do governo, segundo a qual a Justiça não tem o direito de controlar sua política migratória.

Neste domingo, Trump tuitou que 72% dos refugiados que ingressaram nos Estados Unidos entre 3 e 11 de fevereiro, "durante a sentença do tribunal", provinham dos sete países incluídos em seu decreto - Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen. Insinuou, com isso, que a decisão da Justiça abriu uma brecha aproveitada pelos cidadãos de nações consideradas, por ele, como uma ameaça à Segurança Nacional americana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos