Presidente do Turcomenistão reeleito com quase 98% dos votos

Ashkhabad, Turcomenistão, 13 Fev 2017 (AFP) - O autocrata Gurbangulí Berdimujamedov foi reeleito para um terceiro mandato presidencial com quase 98% dos votos no Turcomenistão, um dos países mais fechados do mundo.

Berdimujamedov foi reeleito desta vez para um mandato de sete anos. O pleito teve teve participação de 97% do eleitorado, de acordo com a comissão eleitoral.

O governante de 59 anos enfrentou oito candidatos desconhecidos, reduzidos ao papel de meros figurantes.

A eleição no país de cinco milhões de habitantes aconteceu após uma reforma constitucional, aprovada em setembro, que ampliou de cinco para sete anos o mandato presidencial e acabou com o limite de idade para os candidatos.

Berdimujamedov foi o dentista de seu antecessor, Saparmurat Niazov, antes de virar ministro da Saúde. Após a morte do mentor, venceu a eleição presidencial de 2007 com 89% dos votos. Em 2012, conquistou o segundo mandato com 97,14%.

O resultado não foi uma surpresa para os analistas porque Berdimujamédov controla com mão de ferro o país, que tem população majoritariamente muçulmana, grandes reservas de gás e não conta com uma imprensa livre.

Ao votar no domingo, o presidente prometeu continuar com a "política de melhorar a ajuda social para o povo.

Gurbanguli Berdimujamedov nasceu em 29 de junho de 1957. Trabalhou como dentista por muitos anos e teve como paciente o presidente Niazov até 1997, quando foi nomeado ministro da Saúde.

Analistas consideram que a reforma constitucional demonstra que o presidente aspira um reinado vitalício como seu antecessor Niazov.

Conhecido como "Turkmenbachi", ou Pai dos Turcomenos, Niazov faleceu em 2006, aos 66 anos, vítima de um ataque cardíaco.

Desde que assumiu o poder, Berdimujamedov adotou uma política de culto à personalidade, assim como o antecessor e similar a de muitos países da região com governantes autoritários.

Em Ashkhabat há estátuas tanto de Niazov como de Berdimujamedov, assim como grandes palácios e um aeroporto em forma de pássaro que custou dois bilhões de dólares, apesar do turismo reduzido no país. Tudo isto graças à arrecadação obtida com o gás.

A ONG Human Rights Watch (HRW) denunciou recentemente que o país mantém o caráter repressivo da época de Niazov, apesar de Berdimujamedov ter adotado "modestas medidas para abolir decisões nefastas".

Ao contrário do período de Niazov, os turcomenos têm acesso a internet, que é controlada pelo governo, que administra uma campanha para evitar o acesso aos canais de televisão estrangeiros, segundo a HRW.

"Os eleitores não podem dar abertamente sua opinião sobre as eleições sem medo", denunciou a ONG.

O Turcomenistão tem a quarta maior reserva mundial de gás e tenta projetar uma imagem de prosperidade, mas ainda não conseguiu diversificar sua economia e continua muito dependente das exportações para a China.

cr-all/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos