Meio-irmão de Kim Jong-Un é assassinado na Malásia, diz imprensa

Seul, 14 Fev 2017 (AFP) - Agentes norte-coreanas utilizando agulhas envenenadas assassinaram o meio-irmão do líder da Coreia do Norte Kim Jong-Un na Malásia, informou a imprensa sul-coreana nesta terça-feira.

As autoridades de Seul e Kuala Lumpur não puderam confirmar até o momento a morte de Kim Jong-Nam, que no passado já foi considerado o provável herdeiro do Norte.

No entanto, a polícia da Malásia informou que um coreano não identificado foi encontrado passando mal no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur e logo depois faleceu.

Se for confirmada, a morte de Kim Jong-Nam será a de mais alto escalão sob o regime de Kim Jong-Un desde a execução do tio do líder, Jang Song-Thaek, em dezembro de 2013.

Kim Jong-Un tem tentado fortalecer seu poder diante da crescente pressão internacional pelos programas nucleares e de mísseis da Coreia do Norte. Ele teria organizado uma série de execuções.

O mais recente lançamento de mísseis, realizado no último domingo, gerou a condenação do Conselho de Segurança da ONU e a ameaça de uma forte resposta do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A agência de notícias sul-coreana Yonhap citou uma fonte segundo a qual agentes da agência de espionagem do Norte, o Escritório Geral de Reconhecimento, realizaram o assassinato na segunda-feira se aproveitando de um vácuo de segurança entre os guarda-costas de Jong-Nam e a polícia malaia no aeroporto.

O homem de 35 anos teria sido morto por duas agentes não identificadas que utilizaram agulhas envenenadas no aeroporto, segundo a emissora sul-coreana TV Chosun.

De acordo com a rede de televisão, as duas mulheres chamaram um táxi e fugiram logo depois.

Na Malásia, o chefe de polícia responsável pelo Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, o comissário-adjunto Abdul Aziz Ali, declarou à AFP que um coreano de cerca de quarenta anos foi encontrado passando mal no aeroporto na segunda-feira.

As autoridades aeroportuárias o levaram ao hospital, mas ele morreu no caminho, disse o chefe da polícia.

"Não posso informar isso", afirmou quando perguntado se o nome da pessoa morta era Kim Jong-Nam.

"O corpo está no hospital Putrajaya. O caso está sendo investigado", acrescentou.

Kim Jong-Nam, filho mais velho de Kim Jong-Il, já foi considerado o provável herdeiro da Coreia do Norte, mas perdeu o favoritismo de seu pai após uma tentativa frustrada em 2001 de entrar no Japão com um passaporte falso para visitar a Disneyland.

Desde então, viveu em um virtual exílio, principalmente no território chinês de Macau.

Kim Jong-Un assumiu o poder como líder norte-coreano após a morte de seu pai, em dezembro de 2011.

Kim Jong-Nam, conhecido como um defensor da reforma no Norte, disse certa vez a um jornal japonês que se opunha às transferências dinásticas de poder que ocorrem na Coreia do Norte.

Ele teria sido próximo de seu tio Jang Song-Thaek, que atuou como o número dois não-oficial do governo e o mentor político do atual líder, antes de ser morto pelo regime.

- Alvo no passado -Cheong Seong-Jang, pesquisador sênior do think tank Sejong Institute de Seul, disse que Jong-Nam vivia quase em um exílio, o que tornava improvável que Jong-Un o encarasse como uma potencial ameaça ao seu poder.

"Mas se Jong-Nam cometeu um ato para prejudicar a autoridade de Jong-Un, acho que é possível que o Escritório Geral de Reconhecimento tenha realizado diretamente o assassinato sob as ordens de Jong-Un, uma vez que ele era o responsável por observar Jong-Nam de perto", acrescentou.

Jong-Nam já havia se tornado um alvo no passado. Em outubro de 2012, promotores sul-coreanos informaram que um norte-coreano detido como espião admitiu ter participado de um complô para encenar um acidente de carro na China em 2010, tendo como alvo Kim Jong-Nam.

Em 2014, foi informado que Jong-Nam estava na Indonésia - foi visto em um restaurante italiano em Jacarta - e aparentemente estava vivendo entre Cingapura, Indonésia, Malásia e França.

Em 2012, um jornal de Moscou relatou que Jong-Nam estava tendo problemas financeiros depois de ter sido desvinculado do Estado estalinista por ter criticado sua política de sucessão.

O semanário Argumenty i Fakty informou que foi expulso de um hotel de luxo em Macau por uma dívida de 15.000 dólares.

No ano passado, a Coreia do Sul alertou sobre possíveis tentativas de assassinato norte-coreanas em seu território. Lembrou tentativas anteriores de assassinar Hwang Jang-Yop, ideólogo-chefe do Norte e antigo tutor de Kim Jong-Il, que desertou para o Sul em 1997 e morreu de causas naturais em 2010.

Jong-Nam nasceu do relacionamento extra-conjugal de seu pai com Sung Hae-rim, uma atriz de origem sul-coreana que morreu em Moscou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos