Policiais de Hong Kong declarados culpados de agressão a manifestante pró-democracia

Hong Kong, 14 Fev 2017 (AFP) - Sete policiais de Hong Kong foram declarados culpados nesta terça-feira de agressão a um manifestante pró-democracia em 2014, um incidente que foi registrado em vídeo e cujas imagens deram a volta ao mundo.

Os sete acusados foram considerados culpados por ferir Ken Tsang, um militante do Partido Cívico. O tribunal, no entanto, absolveu os policiais da acusação mais grave, de agressões e ferimentos voluntários.

As imagens da agressão, que aconteceu perto da sede do governo da ex-colônia britânica, foram registradas pela televisão local e mostram os policiais à paisana arrastando um manifestante algemado para uma área remota de um parque, onde a vítima foi agredida.

Dezenas de milhares de manifestantes participaram na grande mobilização de 2014 para exigir um verdadeiro sufrágio universal para designar o chefe do Executivo em março de 2017.

A polícia foi criticada por ter atuado com violência durante os 79 dias de mobilização, que paralisaram bairros inteiros de Hong Kong.

"Todo policial tem o dever de impedir que um crime seja cometido, inclusive por outros oficiais de polícia", afirma o tribunal em um comunicado.

A vítima sofreu ferimentos no rosto, pescoço e outras partes do corpo.

Os policiais culpados podem ser sentenciados a penas de até três anos de prisão.

at-lm/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos