Canadá liberta condenado por atentados contra Air India após cumprir pena

Ottawa, 15 Fev 2017 (AFP) - A Justiça canadense libertou, ao final de sua pena, a única pessoa condenada pelos atentados contra os dois voos da Air India que deixaram 331 mortos em 1985, informou nesta quarta-feira um tribunal.

Interjit Singh Reyat, um sikh residente no Canadá na época dos atentados, estava em regime semiaberto há um ano. Agora está totalmente livre após ter passado mais de 20 anos na cadeia, indicou Patrick Storey, porta-voz do Tribunal de Aplicação de Condenações.

Em 23 de junho de 1985, um Boieng 747 que saiu de Vancouver com destino à Índia, e que passava por Toronto, Montreal e Londres, explodiu próximo à Irlanda, deixando 329 mortos.

Uma segunda bomba destinada a outro avião da Air India explodiu no aeroporto de Narita, em Tóquio, provocando a morte de dois carregadores de malas.

O processo estabeleceu que as duas bombas haviam sido fabricadas em Vancouver pelos extremistas sikh que queriam vingar o ataque realizado pelo Exército indiano contra o Templo Dourado de Amristar, um importante local da religião sikh.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos