Seul: homicídio do meio-irmão do líder norte-coreano mostra brutalidade de Pyongyang

Seul, 15 Fev 2017 (AFP) - O homicídio do meio-irmão do dirigente norte-coreano, Kim Jong-un, na Malásia, foi confirmado pelo governo da Coreia do Sul, que criticou, mais cedo, "na brutalidade e na natureza desumana do regime" de Pyongyang.

"Nosso governo tem certeza de que o homem assassinado é Kim Jong-Nam", afirmou o porta-voz de Seul para o Ministério da Unificação, Chung Joon-Hee.

"Se se confirmar, o assassinato de Kim Jong-nam seria um exemplo que demonstraria a brutalidade e a natureza desumana do regime norte-coreano", havia dito o presidente sul-coreano interino, Hwang Kyo-ahn, citado por seu porta-voz em uma reunião com seus principais conselheiros para a segurança.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos